segunda-feira, 18 de setembro de 2017

CORTA PRA MIM!

"CORTA PRA MIM!"

Não sou muito dado a homenagear, fazer homenagens e oferecer algum tributo a alguém ou a alguns, principalmente quando não conheci essa pessoa, nem ela me conheceu. Prefiro guardar o meu sentimento, a minha gratidão e deixar que o coração fale por mim. Ontem, dia 17-09-2017, tive um dia triste, fechado, parado, denso e tenso. Não saí, pouco escrevi e me perdi em lembranças e recordações deixando pairar as emoções que se impunham sobre mim. À noite, quando a mente desacelera um pouco, pude pensar melhor e sentir com mais clareza a "perda monstro" que o nosso País teve com o anúncio da morte do jornalista, repórter-investigativo e apresentador Marcelo Rezende, que comandou por muitos anos um programa que, apesar do seu teor investigativo-policial, era líder de audiência na emissora. Com seus bordões, seu jeito engraçado e sério, sua inteligência, capacidade e genialidade, Marcelo abraçava o País denunciando mazelas, tocando nas feridas abertas com seu jeito especial, sua experiência de tantos anos em programas do mesmo teor e audiência em outra emissora de televisão. Tornei-me um fã de Marcelo Rezende, comprei o seu livro "Corta pra mim" logo após o seu lançamento, o li com avidez e acompanhei assim a trajetória do maior repórter policial que o Brasil já teve. Falar de certas pessoas, ou escrever sobre algumas pessoas não é tarefa fácil, pois muitas vezes somos traídos pela emoção que teima em chegar e tomar a nossa consciência, o nosso raciocínio. Isto não é exatamente uma homenagem, mas uma lembrança que eu quero registrar, documentar e compartilhar. A vida é assim, sempre foi assim como num jardim onde flores murcham, se secam para dar lugar a outras que, igualmente, vão continuar embelezando e perfumando o ar e o espaço entre os canteiros e os caminhos. Saudade...
18-09-2017.

sexta-feira, 25 de agosto de 2017

TREM DA AMIZADE
Lá vou eu, lá vamos nós,
Vamos juntos numa voz,
Agora sim é emoção
No balanço da canção.
Vamos juntos neste trem
Do Rio Grande a Belém,
Caminhando sem parar
Sem ter pressa de chegar.
Agora sim nesta canção
Vamos cheios de emoção
De São Paulo ao Maranhão
Com amor no coração.
Agora sim lá vamos nós,
Vamos juntos numa voz,
Tanto riso, tanto sonho,
Vai comigo, vou contigo,
Eu só levo bons amigos,
Bons amigos vão comigo...
Vão comigo
Vão comigo
Vão comigo
Vão comigo
Vão comigo
Vão comigo...

22-06-2007.

terça-feira, 22 de agosto de 2017

A EFÊMERA NÉVOA DO AMANHECER






A EFÊMERA NÉVOA DO AMANHECER
Infinitamente belo, insuportavelmente efêmero.”
                                                                     Rubem Alves


O mistério da vida é talvez maior que o da morte,
eis que a vida existe mas por si mesma não subsiste.
A nefasta morte que também existe - persiste e não desiste -
antiga como a própria sombra da noite, ela resiste.
Vai-se a vida para a morte existir.
Hoje, tantos anos depois, onde a noite dos tempos me separa
do Anjo que me fez sonhar e ser o que sou,
não tenho glórias para mim, mas para meus filhos e netos.
Rememoro em verdade a importância de sopesar a existência.
Passamos uma longa vida na ilusão de reter a sabedoria
sendo que ela nos é volátil como a efêmera névoa
do brilhante amanhecer.






“E tudo que era efêmero se desfez. E ficaste só tu que é eterno”

[Cecília Meireles]

*


Efêmero, do grego “ephémeros” significa “apenas por um dia”. De forma geral o termo efêmero é associado a tudo que é passageiro, transitório, fugaz, de curta duração.

*



Tentar reter o tempo, parar a vida, eternizar-se jovem, é sofrer anunciadamente, é a busca pelo efêmero...
A luz, as nuvens, a névoa, a chuva,
embora sejam apenas um instante mágico dentro da eternidade,
por elas podemos dialogar com o eterno.
Para a contemplação e deleite de nossos olhos
postam-se diante de nós as rochas,
as montanhas, os vales,
passam a terra, o ar, as águas e o fogo, mas o Eterno subsiste.



Toda a grandiosa beleza da Criação beleza das montanhas,
vales, mares, céus em cores, nuvens navegando
na plenitude do azul do firmamento.
Precisaríamos de milhares de vidas longas para apreciar um mínimo das maravilhas, somente de nosso planeta.

As cordileiras, os fiordes, as rochas, os abismos oceânicos estão sempre lá, mas como toda obra prima de arte sofrendo a intervenção do Artista. Elas - todas as obras - são o palco, não o enredo da peça. Como explicar, descrever uma flor para nossa alma e coração? O voo do beija-flor, o mimetismo do camaleão? Não cientificamente, sem equações ou gráficos, nem busca da lógica e encaixe forçado na razão, como se tentar colocar uma catedral dentro de uma capela... Simplesmente admirá-los, observá-los para senti-los: criamos o enredo, damos movimento à nossa história, cores à aquarela da alma, que nos valem a vida.

Nossos sentimentos - sensações - vão para o eterno na rápida viagem de todo esse milagre lento qual fosse um século, breve qual fosse uma hora.
O que constrói as grandes paisagens vividas é a luz refletida, filtrada em raios multicoloridos por entre as nuvens, a névoa, as expressões e gestos de pessoas que povoam nossa existência, ou até mesmo o conhecimento, o olhar e estado de espírito de cada um de nós caminhantes. O subjetivo, o efêmero... é a essência, do corpo que nos envolve na aquiescência de nossa alma.

                                       *






Somos maus aprendizes da arte de conhecer o mundo; lembremo-nos quantas vezes nós dizemos de pronto que ele nos engana...!

Um esquilo, por exemplo, está na hierarquia do tempo de existência como fossem instantes, e estoca o necessário para sua vida e seus filhotes.
Não há desperdício de tempo, pois não há consciência do tempo para lhe fazer falta.

Nós outros, no entanto, desperdiçamos o tempo afetivo jogando-o como lastros ao mar; antes, muito antes, de o navio porventura vir a naufragar!

Se vivêssemos a vida - da forma dos esquilos e das borboletas -
constataríamos que o tempo não existindo, o iríamos ter para uso, com sobra. No entando nós humanos com a noção do tempo, não temos tempo para nada...

[M.Martins Santos]


sexta-feira, 18 de agosto de 2017

POETAS-TROVADORES UBETEANOS NA ACADEMIA GUAÇUANA DE LETRAS

Em 1956, Luiz Otávio, o criador da UBT– União Brasileira de Trovadores – reuniu duas mil trovas de “Meus Irmãos, os Trovadores”, dispersos por todo o Brasil, naqueles tempos em que ninguém podia sequer imaginar as facilidades de hoje com a televisão, os endereços eletrônicos, celulares, etc. Assim surgiu a primeira coletânea de trovas líricas e filosóficas, com o objetivo de tornar esse Gênero Poético mais conhecido e amado e, por tabela, divulgar a UBT.

Em 2016, para comemorar o Centenário do “Príncipe dos Trovadores”, a Presidente Nacional da UBT, Domitilla Borges Beltrame, conseguiu coletar mais de  duas mil e setecentas trovas líricas e filosóficas no livro “Meus Irmãos, os Trovadores”, Vol.II – sem ônus  para os participantes, prováveis adquirentes de seus exemplares, por apenas R$50,00 cada, mais o frete. Neste segundo volume constam duas a três trovas de 16 (dezesseis) Trovadores Ubeteanos de M.Guaçu, 8 (oito) dos quais são “nossos acadêmicos”.

Agora, em 2017, completando essa invejável proeza, a polivalente equipe de Domitilla Borges Beltrame acaba de lançar “Meus Irmãos, os  Trovadores”, Vol.III – HUMOR, com a participação corajosa de 5 (cinco)  “nossos” Poetas-Trovadores, porque “para a UBT, a difícil arte do humorismo é assunto sério”, como afirma Therezinha Dieguez Brisolla. E Elisabeth Souza Cruz completa: “Se rir é o melhor remédio, temos, aqui, uma ‘farmácia’ perfeita para cuidar das apreensões da vida. A posologia é simples: uma dose diária de leitura bastará...”

Qualquer um pode comprar o livro “Meus Irmãos, os  Trovadores”, Vol.III – HUMOR por R$ 40,00 entrando diretamente em contato com a Presidente Nacional da UBT por e-mail: domitillabeltrame3@gmail.com 

Assim é que a UBT se tornou uma “rede literária” internacional, dedicada à Trova como Gênero Poético, a serviço da Língua Portuguesa, da cultura em geral, do entretenimento e da justiça social.   

Por curiosidade, confira uma das trovas de humor dos cinco Trovadores:

De Bartolomeo Martins (Bartho)       Na Quaresma sempre vem
                                                            cefaleia sem igual
                                                            motivado (sei eu bem!)
                                                            por goles no Carnaval.                                                          
.    
De João Vitor Rossi       Fui passear na montanha,
                                        passei por campos e mato.
                                        Quem passeia sempre ganha:
                                        ganhei até carrapato...
    
De Maria Ignez Pereira       O carro virou paçoca
                                              numa trombada invulgar:
                                              – Socorro! geme a dondoca.
                                              – Roubaram meu celular!
    
De Mayra Fernandes (M.Ap. Fernandes Ramos)     Um vendedor bem folgado
                                                                                   insistiu para eu comprar
                                                                                   um pó-de-arroz importado
                                                                                   pra  feiúra eu disfarçar.
De Roberto Nini     Folgadão, metido a rico,
                                 vivia buscando luxo;
                                 de bens, só tinha um penico,
                                 sem levar nada no bucho! 


Maria Ignez Pereira (Membro da Academia Guaçuana de Letras) 

sábado, 12 de agosto de 2017

OBRIGADO PAPAI...



 Esta imagem sabemos que um dia vai para o passado... 
Mas como vale a pena este "presente...!

<*>

OBRIGADO PAPAI...

Lembrar-se de um ente querido que não mais esteja neste mundo fático, sempre é difícil, uma dor que transpassa nosso corpo - o indescritível sentimento que chamamos saudade - ao redor, tudo nos faz lembrar a pessoa amada que se foi.
Essa data, apenas uma data para pausar a loucura de nossos dias, e pensarmos em um homem que queríamos que fosse eterno. É emocionante, uma mensagem de feliz dia dos pais para pai que já deixou como a mim, há muito tempo... Há pouco tempo para alguns, e outros deem glórias aos céus por ainda o terem.
Estes seres, cuja missão foi nos deixar na Terra seguiram ao grande planejamento cósmico. Aos vivos ainda desconhecido,  mas que sabemos que cumpriram sua missão e seguiram sua jornada de encontro à luz.

[M.M.S]

Oração aos Pais

Senhor, Tu que és Pai de todos nós peço que abençoe aquele homem que antes de mim Tu enviastes  para ser meu pai aqui na terra e ensinar-me como ser uma pessoa de bem e fazer as coisas certas. Através dele pude ver várias vezes tua face paterna, teu amor e compaixão e ensinar-me por palavras e atitudes como ser um verdadeiro ser humano e pude seguindo seu exemplo, ser abençoado na paternidade.

Peço-te Pai Eterno, multiplicares nossos dias, nós que somos pais; e a nossos filhos, para honra e glória de terem-me legado os netos. Para que eu possa sentir sua bendita presença nos momentos felizes e difíceis da vida, sempre lembrando-me de como papai soube em sua humildade e pobreza nos legar a honestidade, a que ele chamava de “carro-chefe” das virtudes.

Senhor acompanha-nos Pai, na alegria ou na dor, no riso ou em toda lágrima, ensina-nos a orar agradecidos a todos os momentos da vida .

Senhor de Toda a Eternidade, peço tua benção na vida de todos os Pais orientando-os no reto caminho, para criarem seus filhos no bom caráter e honestidade, tão carentes em nossos dias.

Que assim seja hoje e todo o sempre. Pelo Santo Espírito, teu emissário e por Tua imensa misericórdia. 

Amém.

<*><*><*><*><*><*><*>

Lembranças de meu Pai

Pai que aos olhos da criança é herói
Pai que aos olhos do jovem é vilão
Pai que aos olhos do adulto é um amigo
Pai que aos olhos do velho é saudade

Quando eu te via como herói
Não sabia quase nada da vida
Sentia-me seguro ao seu lado
Eu só queria ser seu filho

Quando eu te vi como vilão
Pensava que já sabia tudo sobre a vida
Não queria proteção
Eu só queria ser herói

Quando eu te vi como amigo
Pude me dar conta dos erros cometidos
Foi quando realmente te conheci
Que entendi o sentido da vida

Quando me dei conta de sua falta
A idade já havia me alcançado
Você já não era mais herói, nem vilão
Nem amigo e nem solidão

Você virou soma de tudo aquilo que foi
De tudo aquilo que eu pensei que fosse
A síntese da vida que hoje eu vivo
A minha definição da palavra PAI!

(Luis Alves)

 <*><*><*><*><*><*><*>

(...) É a minha emocionada homenagem ao maior, mais justo, honrado e digno homem que pude conhecer: PAPAI.

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

MUITO OBRIGADO, MEU PAI!
Um pai não é apenas uma pessoa importante. É talvez a pessoa mais importante que existe. Pode não parecer, mas dentro do contexto da família esta pessoa ocupa um lugar de grande destaque. O pai não é apenas o provedor - aquele que traz o alimento para casa - de quem dependem os filhos e a mãe dos filhos. É, sobretudo, a figura sobre a qual recai a obrigação de ser o exemplo de vida, de ética e de moral. O pai é o “comandante do navio”, responsável pelo êxito e pelo fracasso de toda tripulação. Diante da sociedade ele não escapa das críticas - às vezes injustas - preço que ele paga por sua importante posição no contexto social. Estou falando de alguém sobre quem pesa a maior responsabilidade acessível ao ser humano.
Pai é provedor, amigo, disciplinador, exemplo. Ele sabe de sua importância e muitas vezes sente o peso sobre os seus ombros. Olha os filhos, faz um carinho, pensa no dia de amanhã, na luta que o espera... São desafios diários que são vencidos um a um graças à sua coragem, força e determinação. Na volta para casa a viagem é longa, a saudade é grande, o tempo não passa... Ele traz sempre uma novidade, algo diferente, um sorriso, um abraço e muita preocupação. O pai às vezes é duro, ranzinza, mas ele ama os filhos. Esse ar de reprovação faz parte de sua índole, da posição que ele ocupa no lar e na sociedade. Mas ele sorri de vez em quando e seu sorriso preenche o espaço e faz brilhar a luz.
Esse é o seu jeito de ser, de viver e de cuidar dos seus. São aspectos que muitas vezes não entendemos. Mas Deus o fez assim. O pai é a figura maior para a qual convergem todos os olhares e de quem sempre se espera uma palavra, um conselho, uma sábia decisão. Pai, obrigado por esse seu jeito, pelas palavras duras que muitas vezes caíram como um remédio amargo, porém eficaz. Obrigado pelas muitas noites que ficastes acordado velando por mim. Obrigado pelo carinho e pela sensação de paz e segurança que você sempre me transmitiu. Você é a pessoa mais importante que existe sobre a terra. Muito obrigado meu pai!
Cícero Alvernaz (02-08-2010) Mogi Guaçu, SP.